Prepare-se! O novo normal está chegando.

COVID-19: a pandemia que está mudando o mundo.
O que era normal poderá se tornar obsoleto.

Seja na indústria, no comércio ou em qualquer segmento que se escolha, tudo ficou diferente.
Resta-nos entender que, muito provavelmente, essa diferença não será temporária. Ao contrário, tudo indica que irá ficar.

Conceitos mais rigorosos de higiene, para evitar a contaminação, foram providências que acabaram resultando em organização, eficiência, agilidade e até em economia. Nisso se incluem os atendimentos pessoais nos bancos, nos consultórios, nos restaurantes, nos supermercados entre outros.

É certo também que muitos empreendimentos não suportaram o longo período de quarentena. O isolamento social exigiu de todos grandes adaptações que, infelizmente, alguns não foram capazes de implementar. Mas aqueles que se empenharam, que quebraram a cabeça para buscar alternativas, que investiram até o que nem tinham, conseguiram sobreviver e, mais do que isso, conseguiram ganhos superiores àqueles anteriores à pandemia.

Nunca a informática e a internet foram tão importantes. Elas realmente fizeram muita diferença.
Viabilizaram a sobrevivência de incontáveis empreendimentos. Mais do que isso, deram espaço à criação de novos serviços e atividades virtuais, em substituição aos que o isolamento social impediu.

Agora, enfrentar e vencer esse novo normal quem vem aí, depende de cada um de nós.
Como? Com atualização, remodelação, enriquecimento e aprimoramento de nossos conhecimentos. É assim que poderemos encarar o novo normal e aceitar a sua inevitável incorporação ao nosso dia-a-dia.

O que já deu certo dificilmente tem volta. E foram muitos os benefícios. Vamos destacar alguns.

Para as empresas
Quase tudo pode ser melhor. O serviço de delivery, o home office e a videoconferência, por exemplo, trouxeram muitos pontos positivos. Abaixo listamos alguns deles.

  • economia com instalações, uma vez que a grande maioria dos colaboradores passaram a executar suas tarefas em casa;
  • economia com a redução de benefícios, cortesias, itens de higiene e limpeza, entre outros, em virtude da redução de pessoas que circulam pela empresa;
  • ganho de produtividade, considerando redução de deslocamento, maior foco e dedicação ao trabalho, em ambiente doméstico e, em consequência, maior eficiência;
  • as antigas e frequentes competições, bem como as eventuais dificuldades de relacionamento, foram minimizadas dentro do espectro de preocupações da empresa;
  • possibilidade de implantação da meritocracia, que permite melhor avaliação do desempenho dos colaboradores e, assim, otimizar o processo de reconhecimento profissional, entre outros.

Para colaboradores e contratados
O isolamento social exigiu providências que permitissem a continuidade das atividades de várias instituições. Assim sendo, preparando o novo normal, entre outras alternativas, trouxe soluções e protocolos de tecnologia da informação que beneficiam muito esse grupo de profissionais, não só no aspecto profissional, mas também no pessoal. Vejamos:

  • home office diminuiu a formalidade e trouxe mais flexibilidade na execução das tarefas;
  • a substituição das reuniões presenciais por aquelas feitas através de vídeoconferência para multiusuários, são menos dispendiosas e proporcionaram melhor relacionamento, mais agilidade e produtividade do grupo;
  • os treinamentos virtuais se mostraram mais eficientes, pois permitem maior interatividade;
  • importante salientar a troca de informações em tempo real, através das facilidades das várias plataformas e instrumentos de internet, que trouxe um ganho efetivo;
  • o tempo economizado no trânsito, pôde ser utilizado em atividades físicas, hobbies e outras atividades de caráter pessoal, aumentando assim a qualidade de vida;
  • o ganho no relacionamento familiar, com a presença de todos em casa, possibilitou o acompanhamento dos estudos dos filhos, bem como a administração de tarefas e de eventuais empregados domésticos, entre outros.

Para as pessoas em geral
Aqui também houve um show de mudanças. E mais uma vez a internet foi a grande estrela, associada ao serviço de delivery, que ganhou destaque vital para milhares de setores.

  • as compras online de quase tudo, desde supermercado, material de construção, decoração, itens de informática, etc., ficaram tão fáceis que foi preciso cuidado para não exagerar e cair no consumismo;
  • a busca e o recebimento dos mais diversos tipos de documentos, físicos ou digitais, passaram a ser solicitados pelo computador ou celular;
  • as negociações com profissionais do direito, imobiliárias, etc. passaram a ser feitas por videoconferência;
  • as consultas médicas ganharam novo perfil, tornando-se viáveis pelo celular, com vídeo;
  • a implantação da educação à distância que era inimaginável, a partir dos níveis mais básicos da idade escolar, se tornou uma reallidade;
  • acrescente-se a tudo isso uma das maiores novidade do momento – as lives – que proporcionaram diversão, entretenimento e aprendizado, através de shows, apresentações, palestras e treinamento.

Para as crianças
Crianças gostam de novidade. E elas, em geral, ficaram entusiasmadas com as aulas online, com a sala de aula interativa. Até mesmo as de educação física e de música ficaram mais interessantes. A tarefa difícil ficou para as professoras, que tiveram que cuidar dos alunos do outro lado da tela.
As crianças rapidamente se adaptaram a essa novidade da escola. Mas com o tempo veio a saudade dos amiguinhos, das brincadeiras em conjunto, do futebol, das aulas de ballet, judô, etc. Esse pedaço demanda mais algum tempo para se consolidar. Como será o novo normal das escolas ainda não se sabe. Mas certamente não será igual ao que era.

Para os pais
Eles conheceram uma realidade diferente e tiveram que aprender a lidar com ela. Tiveram que se desdobrar entre home office, estudos e atividades domésticas. Tiveram que aprender a lidar com a energia dos filhos, que dura 25 horas por dia.
A situação de todos confinados em casa permitiu mais união, mais divertimento com as crianças, dançando, assistindo filmes, reaprendendo matérias escolares, enfim conhecendo melhor as qualidades, eventuais falhas e dificuldades de seus filhos. Puderam saber também a falta que “os pequenos” sentem nas horas dedicadas ao trabalho.

Enfim, a pandemia mexeu e vai continuar mexendo com a vida das pessoas, em todos os setores. Ninguém sabe o que vai ficar e o que vai acabar quando todos os riscos se aproximarem do zero, como com a chegada da vacina, por exemplo. Mas o que cabe a cada um de nós é buscar informação, adequação, atualização e aperfeiçoamento dos nossos conhecimentos e habilidades, para que não sejamos engolidos pela avalanche tecnológica que não vai parar de acontecer.

Sempre lembrando que nenhum processo tecnológico, que traga benefícios e/ou facilidades para as pessoas em geral, deva ser deixado para traz. Por isso, prepare-se e continue a investir em você. Torne-se capaz de enfrentar esse novo normal e vencê-lo. Você pode!