Seja positiva, mesmo na quarentena!

Foto Ministério Público de Sergipe

Ano de 2020 – Período inédito! Conturbado.
A restrição imposta pela pandemia, por si só, tem causado insatisfação, ansiedade, medo, tristeza, desânimo…
Além dela, há a chuva de notícias ruins, opiniões desencontradas, debates desanimadores e muita fake news.

Diante de tudo isso, a pergunta é:
Como sobreviver ao tsunami de negatividade?

Mulher de Classe propõe uma reflexão para ajudar você a vencer esse momento tão triste quanto difícil, com base na PNL – Programação Neurolinguística.
Em alguns dos seus princípios básicos, a PNL ensina que a forma como o cérebro decodifica um fato determina como a pessoa irá pensar, sentir e agir diante de determinada situação. Algumas apenas lamentam. Outras conseguem ver uma ocasião para conquistar benefícios. O que faz essa diferença?
Crises são oportunidades para crescer. Mas esse crescimento começa dentro da mente, a partir das crenças e significados absorvidos ao longo da vida. Alternativas capazes de ajudar a resistir à depressão e a se manter firme, trazem a crença da luz do fim do túnel. Lógico que tudo começa separando o bem do mal.

1) Focar no bem
No meio de toda calamidade, muitas coisas boas acontecem. Mas, como notícias positivas não dão audiência em nosso país, elas dificilmente chegam ao conhecimento da grande maioria.
Assim, a primeira sugestão é focar em ações positivas, solidárias. Pesquisar e conhecer soluções que estão dando certo. Para ilustrar, pinçamos alguns exemplos da situação atual. A valorosa batalha do bem travada pelas pessoas que estão lutando no “front” para atender à população que foi vitimada pelo vírus.

Nos hospitais

  • Mesmo com parcos recursos e muitos riscos, a luta diária e incansável dos profissionais da saúde leva a sério  o famoso “faça o bem, sem olhar a quem”, com incomparável determinação.
  • Além deles, citem-se as equipes que cuidam desde a limpeza e higienização até o mais humilde dos funcionários, que se mostram tão indispensáveis quanto os da saúde, correndo riscos equivalentes, trabalhando mais sobrecarregados do que o costume e sem outra motivação, além da de vencer a pandemia.

Em pesquisas

  • Profissionais da ciência buscam desenvolver medicamentos e vacinas para enfrentar o COVID-19. Adedicação sem tamanho na realização de incontáveis testes em busca da cura. Graças a eles, já se tem muitos resultados animadores. O número de pacientes curados é significativo e continua a crescer a cada dia. As internações e óbitos começam a decrescer em vários países, especialmente naqueles que chegaram a apresentar recordes.

No dia-a-dia

  • Quem está impossibilitado de cumprir a quarentena, como os responsáveis pelo transporte de produtos, insumos e alimentos, não deixaram de fazer suas entregas onde necessário. Afinal, as famílias em isolamento social dependem dos alimentos, indispensáveis para manter a saúde em dia e aumentar a imunidade.
  • Aqueles que operam delivery de todo o tipo, mesmo correndo risco de contaminação, continuam a realizar esse trabalho de grande valia.
  • Inúmeros outros setores têm seus funcionários trabalhando em regime de home office, ou em sistema de rodízio no local de trabalho, para que estejam seguros e seja evitado o colapso total. Com essas operações, pode se dizer que a vida não parou totalmente, pois várias tarefas, das quais você depende, continuam sendo realizadas.

No emocional

  •  Impossível não lembrar dos atos de solidariedade daqueles que, por exemplo, simplesmente se propõem a fazer as compras de itens de primeira necessidade para quem não pode sair e/ou não consegue fazê-las de outra forma.
  • É preciso reconhecer a generosidade e bondade daqueles que se dispõem a doar aos mais necessitados, ou para empresas envolvidas nessa luta, de modo que continuem a produzir o que não pode faltar para garantir a vida de muitos. Aqui também estão as ações de grandes e reconhecidas instituições.
  • Empresas que decidiram arregaçar as mangas e se desafiar, mesmo sem especialidade na área, a  reparar/restaurar, bem como produzir equipamentos necessários à recuperação dos pacientes da COVID-19.

2) Evitar o mal

  • Não se pode ficar alheio aos acontecimentos, mas as notícias negativas não devem dominar a nossa atenção e o nosso tempo.
  • Além do noticiário, as redes sociais estão congestionadas de mensagens negativas, verdadeiras e falsas, que são repassadas, disseminando o pânico entre as pessoas.
  • Posições antagônicas sobre medidas de segurança e saúde também têm espalhado agonia, aflição e até ódio.

Evitar o envolvimento nessa confusão, na guerra de opiniões, é a melhor das atitudes, uma vez que em nada elas contribuem para o bem geral.

3) Ocupar a mente e acalmar a alma

  • Manter-se ocupado traz sensação de bem-estar, utilidade e produtividade, seja com atividades profissionais, de benemerência ou com atividades domésticas. Em qualquer uma delas, você estará se ajudando a desviar a atenção do mal e manter a mente saudável.
  • Para cuidar da alma que fica aflita, angustiada e amedrontada com tantos desfechos tristes, existe a oração. Não importa a religião ou crença. Pedir luz, proteção e, principalmente, agradecer por tantas coisas boas que ainda se pode ver nesse momento, traz paz à alma e ao coração. Enviar energia positiva para quem está numa tormenta todos os dias, o dia inteiro, significa enviar força extra para resistir e amenizar a luta, enfraquecendo o inimigo.

4) Seja a voz de esperança
Ajude a destacar os aspectos positivos dessa pandemia. Sem dúvida, eles existem. Descubra e divulgue os atos e ações positivas, que até emocionam, pela grandeza. Por exemplo:

  • Ter que trabalhar em home office pode ser um problema para muitas pessoas. Mas esse tipo de trabalho obrigou muitos a aprender/aprimorar os conhecimentos em informática, de modo a poder cumprir suas tarefas. Da mesma forma, sendo necessário administrar o tempo e o espaço, o home office promoveu melhoras na organização pessoal e aumento da responsabilidade da agenda profissional. Além disso, coordenar as tarefas domésticas e profissionais é outro desafio que está sendo vencido.
  • Estatísticas podem contabilizar mortes e contaminações, mas também podem contabilizar o número dos que se curaram da doença; a diminuição nas internações; a eficiência de determinados medicamentos; o sucesso de pesquisas e tratamentos alternativos, etc.

  • Amigos ficaram distantes fisicamente. Mas são inúmeras as demonstrações de criatividade no relacionamento virtual, tanto através de textos, desenhos, músicas ou brincadeiras. Descobriram que podem conversar melhor e ser respeitados, pois quando um fala os outros o escutam, para só depois contradizer ou concordar.
  • As famílias têm reclamado da reclusão. Não aguentam mais ficar em casa. Mas, acabaram se aproximando e estreitando seus relacionamentos, uma vez que foram obrigadas a conviver diária e diretamente no mesmo espaço. Isso criou a oportunidade de se conhecer melhor e aprimorar a convivência.
  • A gratidão e o reconhecimento aos profissionais da saúde, pelo empenho diário, além do destemor em conviver em ambiente e clima extremamente desfavoráveis.
  • Os corações em oração uníssona, rogando aos céus pela cura, pelo fim da pandemia, pela paz a todos na terra.

Diga um sonoro NÃO a tudo o que é negativo e pratique a PNL, focando, valorizando e buscado o POSITIVO.
O lucro será todo seu e de todos os que estão à sua volta.

Aproveitando, não se esqueça de fazer uma lista das coisas que te dão prazer e que você vai querer voltar a fazer, assim que a quarentena acabar!