Gravidez pede cuidados especiais com a saúde bucal

A preocupação das mulheres com a gravidez deveria ter início antes dela se concretizar. Por esse motivo, as futuras mães precisam se certificar de que todos os exames e check ups estejam em dia.

Na lista do que fazer antes de engravidar, visitar uma clínica dental deve estar nas prioridades. Apesar de parecer superficial, a saúde bucal é de extrema importância para garantir o bem-estar da mãe e do bebê durante toda a gravidez.

Um bom acompanhamento em uma clínica dental pode fazer a diferença durante todo o tratamento, como também nas medidas preventivas de algumas doenças.

Primeira etapa

A visita a uma clínica dental ainda antes de engravidar – quando estiver na fase do planejamento – para certificar-se de que a saúde bucal está em boas condições, evitará problemas inesperados durante toda a gravidez.

Dessa forma, o dentista terá tempo para realizar as manutenções necessárias, como também a disponibilidade de radiografar, caso seja o indicado, uma vez que durante a gravidez essa técnica é desaconselhável.

Na gravidez, em virtude das alterações hormonais, há uma grande probabilidade de que também haja alterações na vascularização da gengiva, podendo causar inchaços e sangramentos, bem como aumento de bactérias na boca.

A grande questão na gravidez está relacionada aos enjoos matinais, que interferem na escovação adequada dos dentes. Isso acaba permitindo a formação de placas bacterianas na região da gengiva e, em consequência, a incidência de gengivite gravídica, entre outros problemas.

Nesses casos, fica comprovada a importância do acompanhamento em uma clínica dental, para que esses problemas não se tornem maiores. Não cuidar da gengivite, por exemplo, pode ocasionar em uma periodontite.

O que é periodontite?

A doença periodontal é uma infecção que acomete os ligamentos dos ossos que dão suporte aos dentes. Apesar de ser uma doença comum e facilmente evitável, durante a gravidez ela pode causar problemas tanto para a mãe quanto para o bebê.

Segundo estudos de centros internacionais de pesquisa, como a European Federation of Periodontology e a American Academy of Periodontology, a periodontite está diretamente ligada ao nascimento prematuro do bebê, como também à falta de peso que ele possa apresentar.

Isso mostra como o acompanhamento da mãe junto à clínica dental é essencial para evitar intercorrências durante a gravidez.

A periodontite, no seu início, pode não apresentar um quadro de dor, o que faz com que muitas pessoas não a percebam. Os principais sintomas são:

  • vermelhidão;
  • inchaço;
  • mau hálito persistente;
  • sangramentos.

A gengiva é uma área muito sensível, por isso pode apresentar esses sinais mesmo com uma escovação regular. Um leve sangramento pode ocorrer até mesmo no momento da escovação dos dentes ou passando o fio dental.

Há outros fatores que podem agravar o caso da periodontite, como o fumo, diabete, alterações sistêmicas e genéticas, que podem tanto aumentar a probabilidade de ter a doença, como aumentar o grau de infecção.

O aparecimento desses indícios exige a rápida busca de uma clínica dental. As grávidas precisam estar ainda mais atentas a esses sinais, caso já não estejam fazendo o acompanhamento pré-natal odontológico.

O grande problema da periodontite ligada à gravidez é que as suas bactérias não ficam restritas à boca, podendo viajar pelo corpo através dos vasos sanguíneos. Nesse caso, há o risco das bactérias chegarem ao útero.

Tratando-se de agente infeccioso, o sistema imunológico vai tentar combatê-lo, aumentando a produção da prostaglandina, que é muito importante para combater essas bactérias, mas pode induzir ao parto, provocando o nascimento prematuro do bebê.

Como evitar

É essencial procurar uma clínica dental e fazer o acompanhamento com o dentista antes da gravidez. Seguir todas as indicações médicas, realizar os procedimentos e cuidar ao máximo da higiene bucal.

Quando o dentista é consultado antes da gravidez, é possível fazer limpezas para a retirada das placas bacterianas, o que torna mais difícil a ocorrência da periodontite.

Além disso, manter uma alimentação balanceada é essencial. Como a mãe precisa se alimentar várias vezes ao dia, para fornecer nutrientes para ela e para o bebê, o alto consumo de doces, açúcares e carboidratos, pode prejudicar a saúde bucal.

É importante, principalmente no caso do consumo dos açúcares, que a escovação seja feita logo após a ingestão do alimento, para que não sejam formadas as placas bacterianas.

Como tratar

Mesmo com todos os cuidados, poderá acontecer da mãe ter a doença periodontal. Somente o dentista pode confirmar a indicação clínica, por isso é muito importante manter as suas idas à clínica dental de forma regular.

Além disso, o periodontista deve fazer um levantamento do histórico médico da grávida, desde antes dela ter chegado à sua clínica.

Nesse caso, será viável o contato direto com o obstetra responsável, para que juntos possam discutir tanto a condição da paciente, como também o tratamento ideal para ela, sem afetar a saúde dos dois envolvidos.

FonteConsulta Ideal – plataforma com mais de 15 tratamentos odontológicos,
em várias regiões, de forma prática e inovadora, com dentistas qualificados.