Cuidados básicos para ter o seu jardim

Você gosta de jardim?
Que coisa boa é esse espaço em nossa casa, não é mesmo?

É por essa razão que Mulher de Classe traz algumas dicas simples para que você possa cuidar melhor do jardim que tem ou começar a criar esse cantinho tão especial e gostoso de ver e estar.

Então vamos lá!

  1. Localização de canteiros
    Se for plantar em canteiros, estes devem estar preferencialmente em local de fácil acesso e próximo à saída de água, etc.;
    Evite plantar em terrenos muito inclinados. Os melhores resultados surgem sempre em terrenos planos ou com ligeira inclinação, pois nesses a conservação do solo e os tratos necessários são mais fáceis;
    Procure escolher espécies que mais se adaptem ao clima e ao solo da região. Suas plantinhas ficarão mais saudáveis;
    Sempre que possível, evite locais com incidência de ventos fortes e frios, uma vez que estes se tornam abrigo de pragas, poeira e doenças, além de impedir que as abelhas distribuam seu néctar;
    O solo precisa ter boa drenagem. Além disso, cuide para que haja boa fertilidade natural e teor de matéria orgânica. Se necessário, faça uma complementação para que a planta esteja sempre nutrida e resistente a pragas e doenças.
  2. Sobre irrigação
    CUIDADO!
    Não deixe que o solo seque ou fique encharcado no início do desenvolvimento da planta.
    Não faça irrigação nas horas mais quente do dia.
    Observe se as folhas das plantas ficam murchas ou caídas, mesmo com irrigação adequada, o que pode ser indício de espécies não adaptadas ao local.
    Não irrigue por aspersão as plantas sensíveis a doenças.
    Economize água, fazendo uso de coberturas mortas, como palha de arroz, serragem, entre outras.
    Evite terra muito argilosa nos canteiros. Procure deixá-la sempre bem solta.
  3. Controle de pragas e doenças
    Prefira plantar espécies resistentes e adaptadas ao local e à época.
    Respeite os espaçamentos recomendados para cada espécie.
    Cuidado ao capinar, pois um ferimento na planta pode ser a porta de entrada de patógenos.
    Para evitar a contaminação:
    –  comece seu trabalho pelas plantas sadias e termine nas doentes;
    –  desinfete com frequência o material de colheita ou poda;
    –  retire a parte infectada da planta (folha, ramo etc.) e queime;
    –  sendo grande a área danificada remova a planta totalmente e queime. Depois, isole o local e plante outra espécie de família diferente.
    Evite a monocultura.
    Canteiro excessivamente irrigado torna o ambiente mais propício ao ataque de doenças.
    Procure ter variedade de espécies e faça rotação das culturas.
    Plantar por dois anos seguidos uma mesma planta ou da mesma família, enfraquece o solo e as plantas, deixando-as vulneráveis às pragas e doenças.
    Cravo de defunto ou tagetes mantêm os pulgões longe.
    Hortelã afugenta as formigas, enquanto a arruda age contra lesmas.
  4. O solo
    Solos mais escuros são geralmente mais férteis e retêm mais água, mas sofrem mais com doenças e compactação.
    Aparecimento de plantas como samambaia, tiririca, sapé, carrapicho-de-carneiro e capim-rabo-de-burro podem indicar solos mais ácidos.
  5. Cuidados com suas plantas
    Plantas atacadas por piolhos: dissolva tabaco e borra de café em água e regue as plantas.
    Alguns galhinhos de hortelã nos vasos afastam as moscas, que não suportam esse cheiro.
    Rodelas de batatas ou um recipiente pequeno com cerveja afastam as lesmas.
  6. Como preparar a terra
    É bom preparar o canteiro com 8 dias de antecedência. Remexa bem a terra, usando esterco curtido ou terra vegetal. Complete a adubação com farinha de osso
    Enquanto a terra descansa, combata as formigas usando iscas ou similar.
    Esse preparo é próprio para plantar em canteiros, rosas, bulbos e mudas de plantas diversas.
  7. Cuidado com as mudas
    Conserve as mudas sempre úmidas e na sombra até a hora do plantio.
    Observe as recomendações de plantio para cada planta, em relação à distância entre mudas.
  8. Ervas Daninhas
    Elas disputam luz, água e todos os nutrientes que há no solo, criando um campo à sua volta bastante propício ao aparecimento de doenças e pragas, enfraquecendo a planta.
  9. Método para controle das ervas daninhas
    –  Em grupos de plantas muito juntas é melhor arrancá-las com as mãos.
    –  Mantenha sempre as folhas das plantas em altura afastada do solo.
    –  Em áreas maiores use polietileno negro para evitar as ervas-daninhas e conservar o solo sempre quente e úmido.