Faça de 2011 o seu ano novo.

Levante a cabeça, acredite,
vá em frente e vença a fera.
Você pode!

Aqui você encontra muitas dicas.

INICIAL

Consultor
Notícias

Cadastre-se

Contato

Publicidade

Mapa do Site


Mulher


Saúde

Psicologia

Cultura

Beleza

Moda

Esportes

Espiritualidade

SExualidade


Profissional


 Trabalho
Comportamento
Marketing Pessoal
Motivação

Dona de Casa


Decoração

Imóveis

Jardinagem

Manutenção

Finanças

ARTIGOS & LINKS
Dicas
Receitas

Finanças


Em Família


Filhos

Educação

Festas


Na Sociedade


Comportamento

Direitos

Entretenimento

Etiqueta

Filantropia

Turismo


Variedades


Lojas Virtuais

Tudo na Internet

Pets

Links


Agradecemos

sua visita


 

Para filosofar

Juliana Marques


 

Com a proximidade do Dia Internacional da Mulher, andei refletindo sobre as mulheres no mercado de trabalho...

Quando pensamos sobre isto, logo nos lembramos das desigualdades de tratamento que muitas mulheres ainda sofrem em seus ambientes de trabalho, sendo preteridas em promoções, não tendo o direito de expressar sua opinião, argumentar seu ponto de vista ou corrigir o comportamento de um funcionário sem que seus colegas (principalmente homens e, por incrível que pareça, mulheres também) pensem que tal comportamento é resultado de uma crise pré menstrual ou de uma frustração amorosa. Sem contar que várias de nós ainda somos motivo de piadinhas por colocar uma roupa mais justa ou uma blusa mais decotada, simplesmente por querer sentir-se mais bonita naquele dia. As palavras "desigualdade" e "discriminação" são recorrentes em artigos sobre o tema.

Também são comuns as discussões sobre o aumento da presença das mulheres nas empresas, as quais, aos poucos, estão ocupando cada vez mais posições de chefia, apesar da diferença salarial ainda existente quando comparadas aos homens, fato este impossível de se imaginar há 50 anos. Os especialistas tentam explicar esta tendência através da análise do mercado de trabalho dos últimos tempos, das qualidades que nos tornam profissionais mais qualificadas para o cargo de chefia, como a “sensibilidade feminina”, e tantas outras discussões.

Hoje em dia trabalhar fora de casa é uma conquista que a maioria das mulheres quer alcançar. Quem não quer ganhar o seu dinheiro próprio, ser independente e ainda ter sua competência reconhecida por seus superiores e pares?

Cada vez mais a sociedade nos impõe que, para sermos feliz, precisamos agora atingir todas estas conquistas, metas, objetivos. Mas será que somente o sucesso profissional nos traz felicidade? Mais importante do que atingir a posição tão desejada, fazer aquele curso caríssimo com pessoas altamente qualificadas, cuidar de tudo ao mesmo tempo, filhos, casa, carreira, marido, mais importante do que tudo isto é saber o que nos trará felicidade. Quando digo "felicidade" me refiro àquela que liberta a alma, que nos faz sorrir sem culpa, sem remorso, nem sentimento de inferioridade.

Particularmente, acordar todos os dias sabendo que a empresa em que trabalho me reserva um monte de desafios é muito motivador e me faz muito feliz. Conviver com pessoas novas, sair da minha zona de conforto discutindo assuntos dos quais tenho pouco conhecimento, ficar até mais tarde para entregar aquele relatório detalhado e cheio de informações que a matriz solicitou em um prazo curtíssimo, por incrível que pareça, me faz feliz. Esta é a vida que eu sonhei desde a adolescência, quando decidi fazer Direito aos 15 anos sem ter um único advogado na família!

Mas penso ser mais fácil dizer isto agora que sou recém casada, sem filhos, com uma vida inteira pela frente. Será que esta mesma vida me fará feliz daqui a quinze anos, por exemplo?

Neste Dia Internacional da Mulher, mais do que comemorar nossas conquistas, penso que, acima de tudo, temos que olhar para dentro de nós e perguntarmos: nossas conquistas estão nos fazendo mais felizes?

 

E você, é feliz?

 

A autora: Juliana Marques é Gerente Jurídico Regional da Givaudan do Brasil Ltda. e integrante do grupo Jurídico de Saias. Este artigo está publicado em www.migalhas.com.br 

s

 


Inovação
Jurídico de Saias - Grandes mulheres, grandes empresas

 

Com o intuito de tornar a pesada rotina de trabalho um pouco mais descontraída e divertida e integrar profissionais de diversas companhias, Josie Jardim, diretora jurídica da GE para a América Latina, resolveu inovar e criou o Jurídico de Saias, grupo formado por mulheres, em cargos de liderança na área jurídica de grandes empresas, para a troca das mais diversas experiências, tanto sobre a carreira quanto a vida pessoal dessas executivas.

A idéia surgiu de forma absolutamente informal, durante uma reunião na Amcham, Câmara de Comércio Norte-Americana. O grupo inicial era composto por 14 advogadas de grandes empresas e, hoje, 50 mulheres já aderiram à idéia.

O primeiro encontro foi oferecido pela GE e, algumas missões já foram definidas pelo grupo. As advogadas estabeleceram, como objetivo inicial, mentorar as carreiras de outras mulheres, em início de carreira, em qualquer área da companhia e em ONGs apoiadas pelas empresas que trabalham. E a idéia já saiu do papel: no próximo encontro, que ocorrerá em julho, uma profissional de mercado na área de mentoring irá palestrar para o Jurídico de Saias para ensinar como aconselhar e acompanhar a carreira das novas executivas.

Como no Brasil existem poucas informações estatísticas sobre mulheres advogadas em cargos de liderança, uma outra missão foi estabelecida pelas executivas: realizar um levantamento qualitativo sobre as carreiras das advogadas no mercado de trabalho brasileiro, para entender questões cruciais como, por exemplo, a estagnação da carreira feminina em grandes companhias.

O Jurídico de Saias é composto por executivas de diversas empresas como Cargil, Embraer, Pirelli, Nokia, Siemens, Promon, O Boticário, entre outras. O grupo foi estendido para as redes sociais e as advogadas estão produzindo um web site que entrará no ar em breve. Josie Jardim também pretende implementar a iniciativa no México.

Esta matéria foi colocada no ar originalmente em 24/07/2009 no www.migalhas.com.br/