A História do Natal

ConsideradJesusa a festa mais importante do Cristianismo, o Natal celebra, no dia 25 de dezembro, o nascimento de JESUS CRISTO, desde o Século IV pela Igreja ocidental e desde o Século V pela Igreja oriental.

A celebração é realizada nesse dia pela Igreja Católica Romana, pela Igreja Anglicana e por alguns grupos protestantes, e no dia 7 de janeiro pela Igreja Ortodoxa.

As antigas comemorações de Natal costumavam durar até 12 dias, pois este foi o tempo que os três Reis Magos levaram para chegar até a cidade de Belém e entregar os presentes (ouro, mirra e incenso) ao menino Jesus.

Do ponto de vista cronológico, o Natal é uma data de grande importância para o Ocidente, pois marca o ano 1 da nossa História.

Origem da palavra

A palavra Natal vem do latim – “natális”. Ela deriva do verbo “nascor”, que significa nascer. Como adjetivo, significa também o local onde ocorreu um nascimento.

Como festa religiosa, o Natal, celebra o nascimento de Jesus e esse é o seu significado nas línguas românicas – italiano ‘natale’, francês ‘noël’, catalão ‘nadal’, espanhol ‘natal’ ( navidad de Jesus Cristo), português ‘natal’.

Em inglês, a palavra que designa o Natal é ‘Christmas‘, que tem origem nas palavras latinas ‘Cristes maesse’, em inglês ‘Christ’s Mass”, o que quer dizer missa de Cristo. Muitos historiadores localizam a primeira celebração em Roma, no ano 336 D.C.

De ‘natális’ deriva também ‘natureza’, como a somatória das forças ativas em todo o universo.

História

Antes do nascimento de Jesus, existia uma comemoração pagã ao “Retorno do Sol”, homenageando o fim do inverno, celebrada em datas variadas ao redor do mundo.
No século 4 a.C., o Papa Julius I, com a intenção de substituir os rituais pagãos por festas cristãs, fixou a data da celebração para o dia 25 de dezembro, (esta data se estabeleceu com a troca do calendário Juliano pelo Gregoriano).

Por volta do ano 245 d.C., o nascimento de Jesus era festejado “como se Ele fosse um Faraó”. Não era costume na época comemorar aniversários. Assim, não se sabia em que dia havia nascido o Senhor.

O primeiro testemunho direto que afirma que Jesus Cristo nasceu no dia 25 de dezembro é do ano 221.

De acordo com o almanaque romano, a festa já era celebrada em Roma no ano 336 d.C.. Na parte Oriental do Império Romano, comemorava-se em 7 de janeiro o Seu nascimento, data do seu batismo, em virtude da não-aceitação do Calendário Gregoriano.

No século IV, as igrejas ocidentais passaram a adotar o dia 25 de dezembro para o Natal e o dia 6 de janeiro para Epifania (que significa “manifestação”). Nesse dia comemora-se a visita dos Magos.

A celebração do Natal de Jesus foi instituída oficialmente pelo Papa Libério, no ano 354 d.C..

Há muito tempo se sabe que o Natal tem raízes pagãs. Por causa de sua origem não-bíblica, no século 17 essa festividade foi proibida na Inglaterra e em algumas colônias americanas. Quem ficasse em casa e não fosse trabalhar no dia de Natal era multado. Mas os velhos costumes logo voltaram, e alguns novos foram acrescentados. O Natal voltou a ser um grande feriado religioso, e ainda é em muitos países.

Lado Bíblico

A Bíblia diz que os pastores estavam nos campos cuidando das ovelhas na noite em que Jesus nasceu. O mês judaico de Kislev, correspondente aproximadamente à segunda metade de novembro e primeira metade de dezembro no calendário gregoriano era um mês frio e chuvoso. O mês seguinte é Tevet, em que ocorrem as temperaturas mais baixas do ano, com nevadas ocasionais nos planaltos. Isto é confirmado pelos profetas Esdras e Jeremias, que afirmavam não ser possível ficar de pé do lado de fora devido ao frio.

Entretanto, o evangelista Lucas afirmava que havia pastores vivendo ao ar livre e mantendo vigias sobre os rebanhos à noite perto do local onde Jesus nasceu. Como estes fatos seriam improváveis para um período em que seria impossível ficar de pé ao lado de fora em função do frio, logo Jesus não poderia ter nascido no dia em que o Natal é celebrado, e sim na primavera ou no verão. Por isso, a maioria dos estudiosos consideram que Jesus não nasceu no dia 25 de dezembro, a menos que a passagem que narra o nascimento de Jesus tenha sido escrita em linguagem alegórica. Considerando-se que Jesus viveu trinta e três anos e meio e que morreu entre 22 de março e 25 de abril, Ele não poderia realmente ter nascido em 25 de dezembro.

Mais informações sobre o Natal estão disponíveis em:

Fonte: Sua pesquisa.com; wikepedia.pt