Pessach – a Páscoa dos Judeus

o-que-e-pascoaA festa cristã da Páscoa tem origem na festa judaica, também conhecida como Festa da Libertação, mas os significado são diferentes.
Enquanto para o Judaísmo, Pessach representa a libertação do povo de Israel no Egito, no Cristianismo a Páscoa representa a libertação de todos os que estavam separados de Deus pelo pecado, restaurados pela morte e ressurreição de Cristo.

A palavra Pessach, de origem hebráica, significa passagem. Nessa festa é celebrada a fuga dos hebreus da escravidão no Egito no ano aproximado de 1280 a.C

Pessach é hoje uma festa central do Judaísmo e serve como uma conexão entre o povo judeu e sua história. Antes do início da festa, os judeus removem todos os alimentos fermentados (chamados chametz) de seus lares e os queimam. Não é permitido permanecer com chametz durante a Pessach. Os objetos de chametz são escondidos, e outros, passíveis de um processo de casherização, são mantidos; os utilizados para cozinhar passam pelo fogo, e os de comidas frias passam pela água.

É proibido realizar qualquer trabalho depois de meio-dia de 14º dia de Nisan do calendário judaico, ainda que um judeu possa permitir que um goy (os que não são judeus) realize esse trabalho.

O Pessach – festa da Páscoa judaica – é comemorado por sete dias. Ele tem início com uma cerimônia na noite do 14º dia do mês de Nisan (o primeiro mês do calendário judaico). Em todo o mundo, as famílias judaicas reúnem-se para a ceia ritual em que relembram a libertação dos hebreus, depois de um longo período de cativeiro no Egito, há mais de 34 séculos.

No calendário cristão de 2015, o Pessach é celebrado de 3 a 11 de abril, que para os judeus é o ano de 5775

Fonte: Ministério do Turismo de Israel, Revista História Viva e Federação Israelita do Estado de São Paulo.

Leia mais em: O Êxito do Êxodo