Faça de 2011 o seu ano novo.

Levante a cabeça, acredite,
vá em frente e vença a fera.
Você pode!

Aqui você encontra muitas dicas.

INICIAL

Consultor
Notícias

Cadastre-se

Contato

Publicidade

Mapa do Site


Mulher


Saúde

Psicologia

Cultura

Beleza

Moda

Esportes

Espiritualidade

SExualidade


Profissional


 Trabalho
Comportamento
Marketing Pessoal
Motivação

Dona de Casa


Decoração

Imóveis

Jardinagem

Manutenção

Finanças

ARTIGOS & LINKS
Dicas
Receitas

Finanças


Em Família


Filhos

Educação

Festas


Na Sociedade


Comportamento

Direitos

Entretenimento

Etiqueta

Filantropia

Turismo


Variedades


Lojas Virtuais

Tudo na Internet

Pets

Links


Agradecemos

sua visita


 

Dois mercados de trabalho distintos

 

       Poucos sabem da existência de dois diferentes mercados de trabalho hoje. O primeiro é um mercado de trabalho sistemático, organizado e formal. Enquanto o segundo é o oposto, não-sistemático e informal.
       Para explicar melhor, gostaria de fazer algumas colocações para deixá-los a par da lógica dos conceitos que distinguem esses dois tipos de mercado de trabalho.
       Começo falando sobre o mercado de trabalho sistemático, formal e organizado que mantém um elevado nível de competitividade entre os candidatos, onde o objetivo é obter o melhor candidato com avaliações objetivas. Alguns exemplos são:

1. Sites de emprego na Internet
2. Anúncios em jornais
3. Consultores especializados

       Em todas essas fontes de oportunidades de trabalho, como já foi apontado, existe um alto nível de competitividade. A empresa pretende obter um grande número de currículos para poder selecionar os melhores candidatos. Muitas vezes esses candidatos são submetidos a testes e numerosas entrevistas.
       A maioria das pessoas escolhe em primeiro lugar esse mercado de trabalho, quando se vêem confrontados com a necessidade de procurar um novo emprego. A primeira atitude tomada é abrir o jornal no domingo ou então entrar em sites na Internet para responder a oportunidades de trabalho que são públicas.
       Esse mercado é bom para pessoas que possuem excelentes currículos e são jovens. Lembrando que, em geral, as empresas procuram por profissionais qualificados, que falem inglês, tenham excelentes formações, maravilhosas experiências e pretensões baixas. Depois da seleção de muitos currículos e de muito esforço, a empresa consegue o seu objetivo: o melhor candidato!
       Para a empresa são métodos bons, porém, exigem muito trabalho e muita dedicação no processo de triagem. Imaginem todo o trabalho para a realização de entrevistas e testes com 20 candidatos e, ainda, a verificação profunda das referências dos finalistas!
       O outro mercado de trabalho não é tão organizado assim; ele é não-sistemático, com contratações que, em geral, são realizadas com base subjetivas. É o chamado mercado de networking e QI ("Quem Indica"). Aproximadamente 40% das contratações ocorrem por indicações. Este mercado é fortemente indicado para pessoas de maior idade e que apresentem falhas em seu currículo. Este processo, em geral, tem pouca competitividade. Para a empresa, as indicações eliminam muito trabalho, porém, sacrificam a possibilidade da seleção do melhor candidato.
       Durante a procura de emprego, é importante analisar sua competitividade, sua possibilidade de ser bem-sucedido quando comparado com outros candidatos. Se você se sai bem no comparativo, seu destino é o mercado de trabalho organizado e formal. Se você não se sai bem na comparação, a opção é buscar trabalho com seus conhecidos e amigos para uma oportunidade de trabalho com pouca concorrência.
       Um forte abraço,


       Thomas A. Case, Ph.D.
     
 Fundador do Grupo Catho

         www.catho.com.br

s