INICIAL

Notícias Contato Consultor Publicidade Cadastre-se Mapa do Site

Mulher


Saúde

Psicologia

Cultura

Beleza

Moda

Esportes

Espiritualidade

SExualidade


Profissional


 Trabalho
Comportamento
Marketing Pessoal
Motivação

Dona de Casa


Decoração

Imóveis

Jardinagem

Manutenção

Finanças

ARTIGOS & LINKS
Dicas
Receitas

Finanças


Em Família


Filhos

Educação

Festas


Na Sociedade


Comportamento

Direitos

Entretenimento

Etiqueta

Filantropia

Turismo


Variedades


Lojas Virtuais

Tudo na Internet

Pets

Links


Agradecemos

sua visita


 
Conrado Adolpho
REFLEXÕES DO PÓS-NATAL
(adaptado do original "Jesus Cristo não nasceu
vendedor", de autoria de Conrado Adolpho)

 

......Joseph Campbell afirma em seu genial O Poder do Mito, 1988, que "precisamos de mitos que identifiquem o indivíduo". Precisamos de ícones para admirar, de exemplos para seguir.

......Lembro-me claramente de quando Airton Sena faleceu, e, horas depois, viria a presenciar um séqüito de admiradores em prantos por todo o planeta. Aquele Airton Sena, não era humano, era um mito, um personagem televisivo que rendia milhões para muitos.

......Temos a tendência de lembrar e admirar os ídolos fabricados pela mídia em vez dos indivíduos de carne e osso que participam cotidianamente da nossa vida. A caixa da padaria que acorda às 05h30 da manhã, nosso amigo médico que sustenta sozinho sua família trabalhando 16 horas por dia ou o porteiro sexagenário que ajuda os pobres da sua comunidade. Que graça têm esses personagens da vida real? Nenhuma frente aos Schwarzeneggers e Indianas da telona.

......Afinal, quem você conhece que é tão destemido quanto James Bond ou tão carismática quanto Dona Benta.

......O rádio, o cinema e a TV, não necessariamente nesta ordem, nos têm vendido barato porções de ídolos para todos os gostos. Desde Clint Eastwood até Xuxa, desde Ozzy Osbourne até Papai Noel. Como que em frente a uma enorme prateleira de um hipermercado, podemos escolher aqueles a quem admirar, aqueles que mostram a coragem que desejamos ter, a segurança que sempre nos faltou ou a beleza que nos foi negada ao nascimento.

......Dentre todos os mitos, seguramente, o maior deles ainda é Jesus Cristo e, todo dia 25 de dezembro, uma parcela significativa da humanidade comprova isso com a celebração do Natal. Contudo, o efeito cumulativo da mídia durante anos e anos integrando à imagem do Natal a do velho bonachão barbudo nos faz associar tal data religiosa com a chegada do Papai Noel, e não com a do menino Jesus.

......Nada tem a ver o Jesus bíblico com a pitoresca e memorável farda carmim de Santa Claus. Noel, com seu ar de eterna bondade e perfeição, parece pairar sobre o bem, o mal e sobre a fachada dos shoppings.

......Não é de se espantar que Jesus esteja perdendo no “top of mind” do Natal. A figura do velho bonachão é muito mais lucrativa e impulsiona, com o seu enorme saco de presentes, o aquecimento das vendas de fim de ano. O menino Jesus, na sua pobre manjedoura, nos traz um sentimento de tranqüilidade e sossego na noite natalina, que em nada se parece com o corre-corre dos shopping-centers e das lojas de departamentos.

......Tente se lembrar do menino Jesus enquanto enfrenta uma fila de horas, em qualquer grande loja, na qual um bando mal-educado de crianças grita e pais se acotovelam para conseguir chegar a tempo da promoção especial.

......Pouco a pouco sofremos um processo de transferência do mito pacificador do menino Jesus para a febre consumista do Papai Noel, e, recentemente, da Mamãe Noela, de Rudolph - a rena do nariz vermelho -, dos anões da fábrica de brinquedos e de muitos outros símbolos que integram um universo natalino cada vez mais colorido, interessante e mais rentável do que um humilde estábulo.

......Em uma recente propaganda de um shopping, até os reis magos, ao invés de incenso, ouro e mirra, presenteavam um menino Jesus louro de olhos azuis com um Home-Theater, uma geladeira e um DVD.

......Como afirmava Campbell, precisamos de mitos. Devemos, porém, questionar o porquê das nossas escolhas. Impávido, na medida do possível, como um Winston que não aceita a dominação mental do Big Brother da mídia. Procurar o homem por trás do mito, analisar o seu caráter e as suas ações e não somente aceitar seu personagem.

......Jesus, assim como um porteiro ou uma caixa de padaria, em contraposição ao Papai Noel comerciário do nosso dia-a-dia natalino, era humano, e admirável. Lembrarmo-nos dele de tal modo pode ser o primeiro passo para descobrirmos um sentimento de paz e completude que não passará com as festas natalinas.

......Fará com que descubramos os vários mitos que estão a nossa volta e com que nos sintamos reconfortados durante todo ano.

......Feliz Natal.


Conrado Adolpho (www.conrado.com.br) é educador, empresário, estrategista e palestrante. Sua formação vem de escolas de excelência como ITA e Unicamp. Há mais de 10 anos vem preparando profissionais dos mais diversos ramos de atividade em suas aulas, palestras e treinamentos. Suas áreas de atuação são: marketing, vendas, atendimento, marketing educacional, marketing pessoal e desenvolvimento pessoal.
Conheça a premiação recebida pelo Mulher de Classe

Fale direto

com toda Mulher de Classe

Clique AQUI.

Escolha o assunto. Lá estará uma

Mulher

de Classe

INFORME-SE.

Mercado qualificado?

Mulher

de Classe

é o principal.

CONHEÇA.

Informação,

sensibilidade

e muito bom gosto. Tudo

reunido numa

Mulher

de Classe

DECIDA JÁ.

Relação entre custo/benefício

é padrão na

Mulher

de Classe

FALE COM ELA!

Seja profissional,

estudante ou dona de casa, ela sempre será

Mulher

de Classe

FALE COM ELA!